Glicação consiste na ligação covalente de pequenos carboidratos, a um grupo proteico ou lipídico, porém, diferentemente da glicosação, não há ação enzimática. Carboidratos como a frutose e a glicose, quando se ligam covalentemente sem ação de enzimas aos grupos nucleicos, promovem modificações estruturais nas moléculas proteicas, devido à adição de carboidrato. Isso produzirá uma nova estrutura que apresentará uma conformação diferente da original, gerando as ligações cruzadas.

A glicação prejudica o funcionamento normal das biomoléculas refletindo diretamente no processo de envelhecimento, pois afeta ácidos nucleicos e proteínas, como o colágeno, os quais, quando modificados, podem gerar erros funcionais ou estruturais no organismo aumentando processos degradativos.

A glicação é uma das primeiras reações em diferentes cadeias de reações complexas, que levam à formação de produtos finais de glicação avançada (AGEs). Essas substâncias contribuem para aceleração do envelhecimento, pela instabilidade que geram em proteínas como colágeno e elastina, tão importantes à firmeza e viço da pele.

 

Muito embora a glicação esteja relacionada diretamente ao processo de envelhecimento, o profissional que vai avaliar não deve considerar apenas esse fator como determinante na avaliação do paciente. Os supracitados AGEs são formados de maneira endógena (decorrentes dos processos de senescência) porém também estarão presentes no organismo pela ingestão de alimentos com alto teor de açucares, gordura, bem como tostados e queimados. Portanto a degradação colágena e elástica, apresentadas visivelmente por rugas, linhas de expressão e flacidez são sinais de que a glicação está ocorrendo.

 

Os protocolos para tratamentos de pele em avançado processo de glicação serão aqueles voltados para diminuir mecanismos que levam a produção dos AGEs, com ações antioxidantes, antiglicantes enfim, protetoras a estruturas tissulares, porém sem nunca esquecer de ações básicas ao equilíbrio da pele, como nutrição, oxigenação, hidratação e principalmente fotoproteção.

 

 

Alguns dos princípios ativos indicados ao tratamento são;

 

Os Antioxidantes que impedem a formação de radicais livres, inibindo as reações em cadeia com o ferro e o cobre. Interceptam radicais livres, impedindo o ataque sobre os lipídios, proteínas e bases do DNA. Exemplos deles são; Ácido ascórbico (Vitamina C), Betacaroteno, Ácido elágico, Ácido caféico, Polifenois entre outros.

 

Os antiglicantes e desglicantes (revertem o processo), ativos inibidores de glicação que agem no bloqueio de processos de produção de AGEs bem como na quebra de ligações cruzadas geradas por AGEs. Exemplos deles são; Algisium C (metilsilanol manuronato), Alistin, Elastan® e CoffeSkin®

 

É de suma importância que o profissional da Saúde Estética conheça detalhadamente todos os mecanismos que levam a glicação, pois só com amplo conhecimento de todos os fatores relacionados a esse processo, o profissional terá condições de interferir positivamente, promovendo intervenções em cada mecanismo de ação, neutralizando, bloqueando ou desacelerando os prejudiciais e potencializando os benéficos.

 

Dentre os principais processos desencadeadores da glicação estão fatores intrínsecos como o próprio envelhecimento sistêmico, estados inflamatórios/oxidativos e fatores extrínsecos, decorrentes da exposição a fatores ambientais como exposição solar sem fotoproteção e poluição. E ainda fatores como a ingestão de alimentos com altas concentrações de AGEs na composição.

 

Minha sugestão é que o protocolo de tratamento sempre seja desenvolvido de maneira individual, englobando os multifatores envolvidos no processo de glicação, contando com ações, que nutram, hidratem e reequilibrem as funções orgânicas da pele, ações antioxidantes, antiglicantes e desglicantes. Bem como ações educativas, fazendo o paciente entender o seu papel fundamental no processo de reversão da degradação causada pela glicação, e fatores envolvidos no envelhecimento, precoce ou não. Incorporando os cuidados diários básicos (lavar, tonifica, nutri, hidratar e proteger) como parte da sua rotina, um estilo de vida.

Além do mais, partindo do princípio que a alimentação é um dos fatores que interferem diretamente na glicação, é importante se considerar a atuação multiprofissional, contando com um nutricionista que poderá indicar para cada caso uma dieta equilibrada em açúcares, fibras e demais nutrientes, adequada para reverter a velocidade da glicação e seus efeitos danosos ao organismo de uma maneira geral.

Somente medidas amplas e sistemáticas são capazes de gerar resultados concretos em tratamentos Estéticos.

 

The Parkinsonism-associated protein DJ-1/Park7 prevents glycation damage in human keratinocyte
Biochemical and Biophysical Research Communications, Volume 473, Issue 1, 22 April 2016, Pages 87-91
Tamara Advedissian, , Frédérique Deshayes, , Françoise Poirier, , Mireille Viguier, , Gilbert Richarme

 

Therapeutic effects of antigen affinity-purified polyclonal anti-receptor of advanced glycation end-product (RAGE) antibodies on cholestasis-induced liver injury in rats  Original Research Article
European Journal of Pharmacology, Volume 779, 15 May 2016, Pages 102-110
Peng Xia, , Qing Deng, , Jin Gao, , Xiaolan Yu, , Yang Zhang, , Jingjing Li, , Wen Guan, , Jianjun Hu, , Quanhui Tan, , Liang Zhou, , Wei Han, , Yunsheng Yuan, , Yan Yu,