UMA BREVE REFLEXÃO SOBRE OS TRATAMENTOS DIRECIONADOS AO PÓS OPERATÓRIO DE CIRURGIAS PLÁSTICAS.

De antemão deixo claro que esta postagem não tem a ver com que categoria profissional é habilitada para realizar os procedimentos “x” ou “y”, pois essa é uma discussão muito maior, que cabe uma série de observações históricas e metanálises referentes à atuação de cada seguimento profissional, tanto por seus conselhos, quanto por seus próprios agentes.

O que venho ressaltar neste texto, é necessidade de compreender os cuidados no pós operatório com a amplitude que o tema merece.

Existe hoje entre os profissionais da área da saúde um debate sobre quem de fato tem competência para realizar tratamentos pré e pós operatórios em cirurgias plásticas, porém irei me eximir momentaneamente desse debate e nesse texto discorrerei sobre que tipo de habilidades mínimas são necessárias para execução desse trabalho com segurança.

Muitos profissionais com formação básica em Drenagem Linfática Manual (para não dizer os que nem essa formação possuem) estão se aventurando em tratamentos pós operatórios indiscriminadamente. E se assustam quando se deparam com as mais variadas intercorrências, muitas até naturais do processo de recuperação. Agindo de forma inadequada, por vezes gerando sérios danos à saúde dos pacientes.

Por ainda não haver delimitações legais para as regular essas práticas (eu pelo menos desconheço), contamos apenas com o bom senso dos profissionais, que devem se auto avaliar sobre a habilitação que possuem, e a cautela dos pacientes, que devem sempre exigir a certificação documental do profissional que irá realizar os atendimentos.

Como disse no início, não me colocarei em um papel de árbitro para dizer quem pode atuar nessa prática. Mas posso seguramente afirmar QUEM NÃO PODE atuar no pós operatório. Quem NÃO DOMINA PLENAMENTE conhecimentos relacionados a;

• Fisiologia geral
• Sistema tegumentar; Pele;
• Classificação dos biótipos cutâneos e tipos de pele;
• Tecido Celular Subcutâneo;
• Anexos cutâneos;
• Topografia do sistema linfático e Rede linfática;
• Anatomia Geral;
• Sistema Circulatório
• Inervações
• Orientações gerais pré e pós-operatórias.
• Trauma cirúrgico; Cicatrização e reparo tecidual;
• Etapas da cicatrização; Fatores que interferem na cicatrização;
• Cirurgias Plásticas: Ritidoplastia, Rinoplastia, Otoplastia, Blefaroplastia, Mentoplastia, Prótese Mamária, Mastopexia, Ginecomastia, Braquioplastia, Prótese Glútea, Lipoaspiração, Lifting de Coxa, Abdominoplastia e Mini abdominoplastia.
• Cirurgias Reparadoras: Mastectomia.
• Técnicas cirúrgicas, anestesias, incisões, curativos, drenos e orientações.
• Intercorrências pós-operatórias (Ex. Seroma; Hematoma; Equimoses; Necrose; Sofrimento tecidual; Cicatriz hipertrófica/queloide; Edema; Prevenção de Manchas hipercrômicas; Desordens Fibróticas; Contratura capsular; Hiposensibilidade persistente).
• Intervenção no pré e pós-operatório de Cirurgia Plástica.
• Avaliação pré e pós-operatória.
• Drenagem Linfática Manual, Terapias Manuais, Eletroterapia, Técnicas complementares aplicadas à Cirurgia Plástica
• Práticas de recursos manuais, recursos eletroterápicos, técnicas complementares aplicadas ao pós operatório, manejo e posicionamento do paciente operado, indicação/colocação de modeladores, placas e meias anti-trombo.

Entre outras técnicas que evoluem a cada dia…

Pesquisando sobre MUITAS ações judiciais (“PROCESSOS”) por problemas em cirurgias plásticas (90% referentes a problemas no pós operatório e ausência de resultados) encontrei um depoimento que me chamou atenção. Trata-se de uma testemunha que “CUIDOU” do pós operatório de duas pacientes que processaram seu médico por “resultados insatisfatórios”.

Detalhe, a ação foi julgada procedente e elas receberam indenização de 10 mil reais cada.

Leiam o depoimento e tirem suas próprias conclusões;

A testemunha [nome preservado], relatou que ficou assustada com a aparência física delas (folhas 343/345), como se depreende do seu depoimento:

“J: A senhora acompanhou as cirurgias plásticas que elas fizeram com o doutor Ti?

T: Não, quando eu comecei a atender a A. e a A. já fazia um tempo que tinham feito a cirurgia. Realmente, quando eu comecei a trabalhar com elas, o primeiro impacto que eu tive foi realmente, eu fiquei muito, até mesmo chocada com a situação.

J: Com o quê? T: Com a aparência.

J: Do quê? T: A aparência principalmente do abdômen da A..

J: O que tinha o abdômen? T: Uma cicatriz muito acentuada, uma cicatriz com esticamento de…, como eu vou dizer, esticamento de tecidos.

J: Quanto tempo fazia que elas tinham feito a plástica? T: Não sei dizer.

J: Isso da dona A.. E da A.? Tinha problema? T: A A. problema de mamas, deu para perceber perfeitamente que ela tinha uma mama diferente da outra, ao massagear a mama dava a sensação de ter uma bolsa de líquido. Quando elas se colocavam na posição deitada, a aparência da mama delas era como se tivessem encaixado alguma coisa assim redonda, um objeto encaixado.

J: Nas duas ou uma só? T: Nas duas, e os tecidos na volta ficavam sobrando, como se tivesse encaixado.

J: A senhora já tinha visto outras cirurgias plásticas? T: Sim, várias, eu atendo várias pessoas.

J: Alguma com esse resultado? T: Eu tive um caso de uma pessoa que teve alguns resultados ruins, mas a maioria são pessoas que ficaram bem.

J: A senhora disse que não lembra quanto tempo fazia da cirurgia, elas continuavam indo no cirurgião plástico nesse período? T: Não sei dizer “(1).

Estou sobremaneira assustado com o que tenho visto e ouvido de profissionais, com relação aos tratamentos pós operatórios, “dúvidas” como;

“Posso fazer compressa de água quente com cinco dias de operada?”

“Pra onde devo drenar “as linfas“ em “x” cirurgia?”

“Depois que terminar a drenagem tenho que fechar o “glânulos” ?”

“Pra que serve aquele tal de (pausa) como é o nome (pausa) ultrassom? É esse trem ai mesmo!”

“Quantos DIAS depois da cirurgia de lipoaspiração eu posso fazer a massagem modeladora?”

Enfim, poderia passar horas escrevendo sobre o que tenho ouvido e visto.

Mas o que quero mesmo por meio desse singelo escrito, é fazer um pedido a todas os que realizam esse trabalho tão importante para o resultado final de cirurgias plásticas, capaz até mesmo de definir o sucesso ou não desta (digo isso sem exageros).

Reflitam sobre o que estão fazendo, e se auto avaliem sobre a habilidade e competência para realizar esse tipo de procedimento. Se você se julga apto parabéns, continue assim!

Caso contrário, é hora de repensar sua formação, e buscar aperfeiçoamento. URGENTE!

Afinal, sendo até repetitivo; Estamos lidando com a SAÚDE das pessoas, com VIDAS!

Não sou contra nenhuma classe profissional, SOU CONTRA os MAUS PROFISSIONAIS que se infiltram em categorias honradas, desmerecendo-as e envergonhando-as.

“Trabalhar é preciso, evoluir é fundamental”

Ps. Gostou compartilhe o texto, mas por gentileza NÃO COPIE ESTE TEXTO, escritos incompletos e/ou fragmentados podem gerar interpretações dúbias. Respeite a propriedade intelectual do autor.

Referências:
1. SITE MIGALHAS. Insatisfação com cirurgia plástica gera indenização a mãe e filha. Visto em; 16/10/2014. Disponível em: http://www.migalhas.com.br/Quentes/17,MI153208,81042-Insatisfacao+com+cirurgia+plastica+gera+indenizacao+a+mae+e+filha

Prof. Ricco Porto